sábado, 18 de agosto de 2012

Review: Harley Quinn Arkham Asylum –Play Arts kai


Prólogo:

Bom, se um dia, fizeram um personagem irritante, que cumpre bem este papel, com certeza é a Harley Quinn, (ou Harlequina como é chamada aqui no Brasil), a personagem provoca os nervos do Cavaleiro das Trevas. Sempre ajudando o Coringa em suas investidas, alguns autores incrementam sensualidade em algumas histórias para enriquecer a personagem, não que isso seja bem usado na maioria das vezes, mas no caso do game foi muito bem utilizado. A reformulação de saia curta e decote grande para o game, foi espetacular, tornando muita gente fan da personagem, e renovando o gosto dos fans antigos. Como sempre falo, nos dias de hoje vivemos uma era de ouro para colecionadores, o que fizeram com a Harlequina é uma boa prova disso.






Quem é ?

Arlequina (Harley Quinn, no original), cujo nome real é Harleen Frances Quinzel, é um personagem fictício, supervilã inimiga do Batman no Universo DC. Não deve ser confundida com a vilã da Era de Ouro, Arlequim (Duela Dent), inimiga e mais tarde esposa do Lanterna Verde (Alan Scott).

Seu nome é baseado no arlequim e foi proposto pelo Coringa como um trocadilho ao seu nome original, Harleen Quinzel. Isto é explicado no romance gráfico Mad Love, criado por Paul Dini e Bruce Timm em fevereiro de 1994 (depois adaptada na série animada The New Batman Adventures em 1999[1]), premiada com o Prêmio Eisner de Melhor História no mesmo ano.[1] essa história foi publicada no Brasil 2 vezes, a primeira em 2 edições em formatinho na revista Batman - O Desenho da TV pela Abril Jovem em 1995. Em 2002 foi republicada pela Opera Graphica no formato 16 x 23 cm e em preto e branco



História

Harleen Quinzel destacou-se durante o período escolar como uma ágil ginasta, o que lhe permitiu obter uma bolsa de estudos para estudar Psiquiatria na Universidade de Arkham. Para conseguir boas notas, usou por diversas vezes de artifícios censuráveis, como paquerar seus professores.

Posteriormente, trabalhou como psiquiatra no Asilo Arkham, onde conheceu Coringa, seu paciente. Enganada pela história de que ele havia tido uma infância infeliz, Quinzel apaixona-se profundamente. As autoridades suspeitaram que ela tenha sido a responsável por ajudar o Coringa a escapar por diversas vezes do asilo e, por isso, a aprisionaram. Durante um terremoto em Gotham City, Quinzel escapa da prisão e transforma-se Arlequina, parceira de Coringa no crime. O relacionamento entre Coringa e Arlequina é um dos mais complexos do Universo DC. Ele grita com ela, a agride e a abandona sem aviso quando é necessário, chegando a quase matá-la, às vezes. Porém, ela acredita que ele realmente a ama e que esses atos são apenas brincadeira. Coringa já demonstrou certas vezes ter afeto por ela, apesar de sempre ter um episódio onde ele a maltrata.

Review:

Embalagem *****

Assim como as demais da coleção, cumpre bem o seu papel, ótima visão frontal, e boa explicação na parte de trás, seguidos de uma boa decoração de cores, e respingos na caixa.



Escultura *****

Puxa, se tem alguma escultura que a play arts acertou a mão foi esta, a sensação de arte conceitual flui pouco nesta peça, mesmo porque tudo nela ficou excelente. Uma bela peça feminina, com cintura torneada, pernas cumpridas, e seios fartos, fazem da Harlequina, uma das melhores peças femininas articuladas que já vi na vida. Fans de coleção do Batman devem ficar muito felizes, pois a peça é realmente ímpar em meio as escalas menores. Detalhes da roupa são ótimos, a meia da perna quase não tinha percebido que era pintada, e as rugas da roupa são convincentes. O rosto é ótimo, alguns podem até achar a expressão muito séria, mas pra mim passou direto. Outra observação, é o visual de enfermeira sexy, que deixou muito nerd com novos conceitos de fetiche por aí.











Pintura *****

Como sempre na Play Arts, tudo muito bom em tonalidades sombrias, e bem convincentes, sem falar que borrões é algo inexistente na empresa, se existe algo assim eu nunca vi.





Articulação *****

Com 20 pontos de articulação, a boneca tem toda poseabilidade necessária, para as poses tanto do game quando da criatividade de quem expor. Este quesito é algo que a empresa sempre manda bem.







Acessórios ***

Com a Harlquina, a Play Arts foi mais generosa, além daquele cetro do Coringa, ela vem com o boneco do Scarface, e mais suas mãos extras. Não sei o que mais poderia vir com ela, talvez uma cabeça com mais expressões, mas tudo bem.




Conclusões

Se você é fan do game e do morcego, não hesite, compre já, ainda mais pelo lance de que os play arts estão valorizados de mais no mercado, tudo que se deixa pra depois anda encarecendo muito. Uma boa opção é a versão da antiga DC Direct, muito bem feita também, mas na minha opinião fica no chinelo pra esta, mas aí vai de você, qual você acha mais gostosa!!??!!... digo digo... melhor rsrsrs...















Um comentário:

  1. puxa cara q linda ! Nem parece q só tem 20 pontos de articulação !

    ResponderExcluir